Segunda, 10 de dezembro de 2018
91 99100-9888
Brasil

12/11/2018 ás 09h39

40

Jonivaldo Castro

Mãe do Rio / PA

Custo do voto dos senadores eleitos varia de R$ 0,03 a R$ 26,21
Cálculo considera as despesas contratadas informadas ao TSE e o número de votos de cada senador nestas eleições. Major Olímpio (PSL-SP) teve o menor gasto por cada voto conquistado; Mecias de Jesus (PRB-RR) registrou o maior.

Por Gabriela Caesar, G1


 


O custo do voto dos 54 senadores eleitos para compor a Casa, junto aos demais eleitos em 2014, variou de R$ 0,03 a R$ 26,21. Mecias de Jesus (PRB-RR) teve o custo do voto mais alto entre os eleitos para o Senado. Ele declarou ao TSE despesas de R$ 2,2 milhões e conquistou 85.366 votos. Cada voto do senador eleito saiu, portanto, por R$ 26,21.


O menor custo do voto foi de Major Olímpio (PSL-SP), que informou gastos de R$ 278,9 mil e recebeu 9.039.717 votos. Cada voto ficou por R$ 0,03. No levantamento do G1 com os dados dos 513 deputados federais eleitos, a média do custo do voto foi de R$ 10,10.



Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deve notificar, no prazo de cinco dias, os candidatos que não apresentaram as contas até 6 de novembro. Após a notificação, os candidatos têm um prazo de 72 horas para regularizar a situação.

Depois de Mecias de Jesus, os votos saíram mais caro nas candidaturas de Márcio Bittar (MDB-AC) e Confúcio de Moura (MDB-RO). Bittar gastou R$ 10,97 a cada voto que recebeu, e Confúcio desembolsou R$ 10,18.

A partir deste ano, há um limite de gastos na disputa ao Senado de acordo com o número de eleitores no estado. O valor do teto varia de R$ 2,5 milhões a R$ 5,6 milhões.

Nas eleições de 2010, quando 2/3 do Senado também foram renovados, o custo de voto mais alto foi registrado por Ivo Cassol (PP-RO). Na época, Cassol informou gastos de R$ 7,9 milhões e conquistou 454.087 votos – ou seja, cada voto custou R$ 17,39.

Na época, o tempo de campanha era de 90 dias (ante 45 dias atualmente) e as doações de empresas eram permitidas. O custo de voto mais baixo foi de Jorge Viana (PT-AC), que declarou despesas de R$ 54 mil e recebeu 205.593 votos. Viana gastou, portanto, R$ 0,26 a cada voto.

Despesas contratadas

Dos 54 senadores eleitos, a campanha mais cara foi registrada por Mara Gabrilli (PSDB-SP). A tucana informou gastos que totalizam R$ 5,3 milhões. O valor é bem superior ao registrado pela segunda campanha mais cara, a do senador eleito Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Pacheco informou ao TSE gastos de R$ 3,7 milhões.

Os senadores que também gastaram mais de R$ 3 milhões na disputa ao Senado foram: Eduardo Girão (PROS-CE), Professor Oriovisto Guimarães (PODE-PR), Weverton Rocha (PDT-MA) e Vanderlan Cardoso (PP-GO).

Quatro senadores eleitos informaram despesas abaixo de R$ 100 mil. São eles: Capitão Styvenson (Rede-RN), Soraya Thronicke (PSL-MS), Delegado Alessandro Vieira (Rede-SE) e Marcos do Val (PPS-ES). A campanha com o menor volume de recursos foi a de Capitão Styvenson, com R$ 35,6 mil.


Eleição 2018: Despesas contratadas (em R$) dos 54 senadores eleitos — Foto: Gabriela Caesar e Igor Estrella / G1


Nas eleições de 2010, 29 dos 54 senadores eleitos (53,7% do total) gastaram mais de R$ 3 milhões na campanha. A campanha mais cara entre os eleitos foi de Lindbergh Farias (PT-RJ), que informou despesas de R$ 14 milhões.

Outros três senadores também tiveram gastos acima de R$ 10 milhões em 2010: Aécio Neves (PSDB-MG), Marta Suplicy, então filiada ao PT de SP, e Itamar Franco, que concorria pelo PPS de MG. Jorge Viana (PT-AC) foi quem declarou o valor mais baixo em despesas (R$ 54 mil).

Número de votos

Os dois senadores eleitos por São Paulo são os líderes no número de votos entre os eleitos para o Senado. Major Olímpio (PSL) conquistou 9.039.717 votos, enquanto Mara Gabrilli (PSDB) ficou com 6.513.282 votos. São Paulo é também o maior colégio eleitoral do país, com 33 milhões de eleitores, e concentra 22,4% do eleitorado apto a votar.

O terceiro senador eleito mais bem votado foi Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), com 4,4 milhões de votos. Em seguida, vêm os dois senadores eleitos pela Bahia: Jaques Wagner (PT), com 4,3 milhões de votos, e Angelo Coronel (PSD), com 3,9 milhões de votos.

Os senadores com menos votos foram eleitos por Roraima, estado com 333,5 mil eleitores aptos a votar (0,2% do total). São eles: Mecias de Jesus (PRB), com 85.366 votos, e Chico Rodrigues (DEM), com 111.466 votos.

 



Eleição 2018: Número de votos dos 54 senadores eleitos — Foto: Gabriela Caesar e Igor Estrella / G1


Nas eleições de 2010, o senador mais votado foi Aloysio Nunes (PSDB-SP), com 11,2 milhões de votos. Marta Suplicy e Aécio Neves também ficaram entre os mais bem votados, com 8,3 milhões e 7,6 milhões de votos, respectivamente.

Novamente, os senadores que conquistaram menos votos estavam em Roraima: Angela Portela, então filiada ao PT, com 110 mil votos, e Romero Jucá, que concorreu pelo PMDB (atual MDB), com 118 mil votos.

Eleição 2018: Limite de gastos na disputa ao Senado



















































































































































UF Nº de eleitores Limite de gastos
AC 547.873 R$2.500.000,00
AL 2.188.140 R$3.000.000,00
AM 2.425.918 R$3.000.000,00
AP 511.524 R$2.500.000,00
BA 10.388.754 R$4.200.000,00
CE 6.342.684 R$3.500.000,00
DF 2.086.133 R$3.000.000,00
ES 2.755.424 R$3.000.000,00
GO 4.452.427 R$3.500.000,00
MA 4.536.377 R$3.500.000,00
MG 15.706.144 R$4.200.000,00
MS 1.878.107 R$2.500.000,00
MT 2.330.725 R$3.000.000,00
PA 5.496.889 R$3.500.000,00
PB 2.865.578 R$3.000.000,00
PE 6.572.437 R$3.500.000,00
PI 2.355.180 R$3.000.000,00
PR 7.975.223 R$3.500.000,00
RJ 12.410.983 R$4.200.000,00
RN 2.373.092 R$3.000.000,00
RO 1.175.891 R$2.500.000,00
RR 331.492 R$2.500.000,00
RS 8.358.401 R$3.500.000,00
SC 5.070.696 R$3.500.000,00
SE 1.572.064 R$2.500.000,00
SP 33.037.175 R$5.600.000,00
TO 1.039.708 R$2.500.000,00




 

FONTE: g1.globo.com

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium